Bem-vindos, amigos visitantes!


A finalidade do blog SURDO HK é divulgar o trabalho de ensino especializado e os projetos desenvolvidos por profissionais que atuam na Escola Municipal de Educação Bilíngue para Surdos Helen Keller - EMEBS HK - São Paulo - Brasil.

Municipal Deaf Bilingual School Helen Keller – EMEBS Helen Keller – located in São Paulo City, SP, Braz

SOBRE NÓS...

Nossa história começou em 13 de outubro de 1952, a primeira escola pública de São Paulo a atender crianças surdas. Começamos em Santana, mudamos para o Ipiranga e nos estabelecemos no bairro da Aclimação em 1956.
Nestes 64 anos, presenciamos as transformações educacionais, linguísticas e culturais da Comunidade Surda Nacional, percorremos sua história, do oralismo ao bilinguismo.
Protagonizamos movimentos em defesa da educação para surdos, vivenciamos suas lutas e vitórias.
HISTORICAMENTE, a EMEBS HK transcende o Educacional, é um ESPAÇO SURDO legitimado pela comunidade surda e lideranças nacionais, palco de importantes eventos, discussões e deliberações políticas pelos DIREITOS DOS SURDOS.
Com o Decreto nº 52.785 de 10 de novembro de 2011, passamos de Escola de Educação Especial para ESCOLA DE EDUCAÇÃO BILÍNGUE PARA SURDOS e sobre esta concepção de ensino, a nota técnica nº10 do Programa Mais Educação de São Paulo, AFIRMA QUE... "reconhece o direito dos Surdos a uma educação bilíngue que respeite sua identidade e cultura, na qual a LIBRAS é a primeira Língua e, portanto, língua de instrução, e a Língua Portuguesa é a segunda, sendo objeto de ensino da escola na modalidade escrita."
O atendimento especializado foi ampliado sob a luz de novas legislações e hoje a EMEBS Helen Keller é uma escola voltada para educação de crianças, jovens e adultos com surdez, com surdez associada a outras deficiências, limitações, condições ou disfunções e surdocegueira.

Há pouco tempo, muitos destes alunos estavam em suas casas, excluídos do convívio educacional, e foi com muita coragem, empenho e disposição para estudos e pesquisas, que os professores da HK se especializaram ainda mais e assumiram a tarefa de receber esta demanda nas salas de surdos. É um trabalho diferenciado, pois as atividades são pensadas e planejadas individualmente; há uma ampla troca de experiências entre os professores e o compromisso em adaptar as atividades de acordo com as potencialidades e habilidades de cada aluno. As limitações não constituem uma barreira, mas um DESAFIO a ser superado!

30 de nov de 2015

PARCERIA DA EMEBS HELEN KELLER COM A USP - DEP. DE LINGUÍSTICA

Somos uma escola especializada na educação de crianças, jovens e adultos com surdez, com surdez associada a outras deficiências, limitações, condições ou disfunções e surdocegueira. 
O que nos certifica como uma escola referência são os nossos 63 anos de experiência na área, graças ao empenho dos profissionais, que investem em formação continuamente.



Outro fator preponderante são as PARCERIAS que estabelecemos com nossos mestres das UNIVERSIDADES, que nos assessoram, voluntariamente, na busca de soluções para os desafios de um ensino com tamanha complexidade.
Profissionais da USP e HK numa pausa para um café embaixo da amoreira
Tarde de assessoria do grupo de estudo do Departamento de Linguística da USP com os profissionais da HK
Nas fotos, o Grupo de Estudos em Língua de Sinais e Cognição, do Departamento de Linguística da USP 
No dia 27, sexta-feira, realizaram na HK uma triagem de habilidades linguísticas baseadas na Libras, que nos levará a estudos de caso dos aspectos da fluência de sinalização nesta língua, assim como a sua produção típica e atípica.











André Nogueira Xavier da LisCo/ USP - Possui graduação em Letras (Linguística e Português), mestrado em Semiótica e Linguística Geral pela USP e doutorado em Línguística pela Unicamp, com estágio na University of New Mexico (Estados Unidos). Foi professor-tutor do curso de licenciatura em letras-libras da UFSC (Polo USP) (2006-2010) e professor visitante do bacharelado em letras-libras da UFRR (2014). Realizou pós-doutorado na University of British Columbia, Canadá.



Andre Xavier em dia de formação ao professores da HK

 Felipe Venâncio Barbosa, atualmente professor doutor do Departamento de Lingüística da Universidade de São Paulo. Concluiu doutorado em 2007 em Ciências da Reabilitação pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.


Felipe Venâncio em dia de formação aos profissionais da HK



 Prof. Dra. Janice Gonçalves Temoteo. Mestre em Letras pela Universidade Federal da Paraíba UFPB, doutora em Psicologia Experimental pela Universidade de São Paulo- USP, com tese intitulada "Lexicografia da Língua de Sinais Brasileira do Nordeste". Atualmente trabalha no Departamento de Linguística da Universidade de São Paulo (DL-USP) como "Especialista em Libras".


Na equipe, os profissionais especializados na área da surdez, pesquisadores e pós-graduados na LIBRAS, a Profa. Sylvia Lia, o Tradutor e Intérprete Thyago Santos e Fiat Lux(Paulo).


UMA HONRA TÊ-LOS COMO PARCEIROS!!!



27 de nov de 2015

Aula expandida na Av.Paulista reflete a identidade de cada aluno com o espaço urbano...

COMO VEJO SÃO PAULO, projeto interdisciplinar desenvolvido com alunos do Fundamental II
 Tem por finalidade resgatar a história da cidade que vivemos, sua ocupação no decorrer dos anos, seus contrastes e por fim, refletir a identidade de cada aluno com o espaço urbano.




As discussões aconteceram durante as aulas de Geografia, História e Português com os alunos dos 9º Anos e se estenderam pela Avenida símbolo de São Paulo, a PAULISTA: alunos e professores percorreram à pé, da Praça Osvaldo Cruz no Paraíso à Consolação, onde retornaram de metrô à estação Ana Rosa. 













Durante o estudo do meio, os professores chamavam atenção dos alunos para fatos do passado e do presente, com intervenções sobre os principais elementos urbanos de cada quarteirão.
Para os profissionais da EMEBS Helen Keller, as barreiras são apenas um detalhe, demandam estudo e planejamento, nunca serão motivo de exclusão para a aprendizagem.





ABAYOMI, bonecas africanas desembarcam nas aulas da HK



Para finalizar o ciclo de trabalhos e atividades da Sala de Leitura, a professora Ane Trigueiro e os alunos do 6º ao 9º ano utilizaram um tema da cultura afro-brasileira: estudaram a história das Abayomis e produziram várias delas para presentear os colegas.
 As Abayomi são pequenas bonecas negras, feitas de pano e sem costura alguma, apenas com nós ou tranças.






Quando os negros vieram da África para o Brasil como escravos, atravessaram o Oceano Atlântico numa viagem muito difícil. As crianças choravam assustadas, porque viam a dor e o desespero dos adultos. As mães negras, então, para acalentar suas crianças, rasgavam tiras de pano de suas saias e faziam bonecas com elas para as crianças brincarem. Essas bonecas são chamadas de Abayomi.


 


A boneca Abayomi valoriza a cultura africana e contribui para o reconhecimento da cultura afro-brasileira, pois faz parte da herança cultural dos negros africanos para o Brasil. 

Quando você dá uma boneca Abayomi para alguém, esse gesto significa que você está oferecendo o que você tem de melhor para essa pessoa.
A palavra Abayomi, do ioruba, significa aquele que traz felicidade e alegria. 
Quer dizer, encontro precioso: abay = encontro e omi = precioso, feliz